quarta-feira, 21 de setembro de 2011

O parto de girafa



Trazemos conosco, embutidos em gavetas especiais do nosso cérebro, um conjunto de dados e de informações prontos para serem resgatados nos momentos mais críticos e mais difíceis. Melhor enfrentamos tais situações quando sabemos o que queremos; quando identificamos os benefícios; quando temos uma atitude de proatividade; quando nossas ações estão impregnadas de prazer e de amor.
Aos olhos de alguns podem surgir cenários de desafios e de dificuldades não compatíveis aos olhos – e atitudes - de outros que encaram com naturalidade as “difíceis” situações e as transformam em momentos de beleza e de sucesso.

Fica fácil entender quando procuramos trabalhar usando exemplos no sentido de sensibilizar as pessoas a enxergar este conceito simples.
Neste caminho, recomendo este vídeo no qual fica evidente:
  1. Um quadro que parece de extrema dificuldade aos olhos de alguns
  2. Uma “memória programada” que facilita as ações
  3. Uma identificação clara do benefício
  4. Uma atitude proativa
  5. Uma participação efetiva
  6. Um sentimento de amor impregnando as ações
  7. Um resultado positivo para o envolvido e para muitos outros interessados

Parando para pensar, os 7 itens acima representam muito do que enfrentamos e buscamos todos os dias em nossas organizações e até mesmo em nossas vidas. Pinçando apenas uma delas – uma memória programada que facilita as ações – e imaginando como nos fortalecer neste sentido, vejo uma resposta clara: treinamento corporativo continuado. Isto nós podemos fazer.

Por falar em treinamento continuado, é isto mesmo que a mamãe girafa faz com o recém-nascido, ao provocar-lhe o desejo de andar. Vejam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário